12/11/09


Não sei para que lado da noite

Não sei para que lado da noite me hei-de virar
onde esconder de ti o rio de fogo das lágrimas
quase a transbordar e acendo mais um cigarro
e falo atabalhoadamente de um futuro qualquer
e suspiro de alívio porque não ouves o que digo
ou se calhar também não sabes onde te esconderes
esperamos que se ilumine o lado certo da noite
é quando se esgotam as palavras e os silêncios
e a minha mão procura a tua que a recebe
e a noite se unifica e todos os rios secam
menos um por onde navegamos
para abolir a noite.

Carlos Alberto Machado in Talismã

8 comentários:

Maria disse...

sem comentário, tal a beleza.

innername disse...

idem...

Mar Arável disse...

Bonito em silêncio

Helena Teixeira disse...

Olá!
A imagem é fantástica.
Identifico-me com a primeira frase: nem sei para onde me hei-de virar...

Aproveito e deixo um convite: participe na Blogagem de Dezembro do blogue www.aldeiadaminhavida.blogspot.com
“O tema é: O Natal na minha Terra”
Basta enviar um texto máximo 25 linhas e 1 foto para aminhaldeia@sapo.pt até dia 8 de Dezembro. Participe. Haverá boa convivência e uma campanha de solidariedade!

Abraço
Lena

hfm disse...

Minha amiga, este blog está em greve, é? Não achas um pequeno exagero? lol

~pi disse...

que belo é,

navegar

um-só-rio :)





beijo





~

Mais Eu!!! disse...

Palavras e imagens, uma combinação perfeita!!! Lindo e tocante...

hfm disse...

Eu sou insistente mas pouco paciente - PARA QUANDO A ACTUALIZAÇÃO DESTE BLOGUE? Urge. Tenho saudades desta escrita.