02/05/10


CANÇÃO DA PRIMAVERA

Eu, dar flor, já não dou. Mas vós, ó flores,
pois que maio chegou,
Revesti-o de clâmides de cores!
Que eu, dar flor, já não dou.

Eu, cantar já não canto. Mas vós, aves,
Acordai desse azul,calado há tanto,
As infinitas naves!
Que eu, cantar, já não canto.

Eu, invernos e outonos recalcados
Regelaram meu ser neste arripio...
Aquece tu, ó sol, jardins e prados!
Que eu, é de mim o frio.

Eu, Maio, já não tenho. Mas tu, Maio,
Vem, com tua paixão,
Prostrar a terra em cálido desmaio!
Que eu, ter Maio, já não.

Que eu, dar flor, já não dou; cantar,não canto;
Ter sol, não tenho; e amar...
Mas, se não amo,
Como é que, Maio em flor, te chamo tanto,
E não por mim assim te chamo?

José Régio

2 comentários:

hfm disse...

Régio e o seu domínio da palavra e do sentimento.

Vidas e Revidas... disse...

Eu, Escrever, não escrevo...
Como tu,José que tiras a pedra do caminho...

Maravilhoso...
Como sua escrita me prende e me faz perceber,
como amo escrever mesmo sem ter tanto saber...
E como é bom visitar um blog e precensiar tão suaves palavras, com perfeição em suas colocações e no seu falar escrito .
Meu dia hj foi salvo, pelo que confirmei aqui...
Amar, Amar, Amar as palavras esse universo de encanto e nada mais preciso amar...
Abraços de Paz...