27/08/10


Creio nos anjos que andam pelo mundo,

Creio na deusa com olhos de diamantes,

Creio em amores lunares com piano ao fundo,

Creio nas lendas, nas fadas, nos atlantes,

*

Creio num engenho que falta mais fecundo

De harmonizar as partes dissonantes,

Creio que tudo é étero num segundo,

Creio num céu futuro que houve dantes,

*

Creio nos deuses de um astral mais puro,

Na flor humilde que se encosta ao muro

Creio na carne que enfeitiça o além,

*

Creio no incrível, nas coisas assombrosas,

Na ocupação do mundo pelas rosas,

Creio que o amor tem asas de ouro. Ámen.



Natália Correiain A Mulher, antologia poética (Antologia), 1973

5 comentários:

hfm disse...

Amen. E vê-se que essa força telúrica lhe vem do mar, dos verdes, das lagoas, da solidão, da insularidade. Belo soneto. O Antero, à sua maneira, deve estar a sorrir.

Méon, disse...

Há quanto tempo não passava por aqui...
E já tinha saudades das ilhas!

Obrigado pelos poemas que por aqui estão semeados. E este soneto da
Natália é um dos meus preferidos.

Abraço

Simone Huck disse...

Também o meu amém !!
Bjs

Carlos Ramos disse...

sim...

Anónimo disse...

Ao ler este poema
ao fruir deste espaço de aventura
minha alma ergue-se agradecida
tenta sair do estado de penumbra!
Obrigado
Carlos da Gama