10/02/11


Foi para ti que criei as rosas.
Foi para ti que lhes dei perfume.
Para ti rasguei ribeiros
e dei às romãs a cor do lume.

Foi para ti que pus no céu a lua
e o verde mais verde nos pinhais.
Foi para ti que deitei no chão
um corpo aberto como os animais.


Eugénio de Andrade

4 comentários:

hfm disse...

Beleza. Pura. Do Eugénio - sempre. Da fota os elementos que cumprem o que o poeta nos diz.

Belíssimo.

bettips disse...

Eu sabia que havia um dia de dizer, porque nos cruzamos em lugares comuns. Vôos de pássaros, longe que ficam as ilhas encantadas.
Haveria um dia de dizer: BELO.
Dum poema, duma canção, duma foto de pombos... e digo.
Abç, senhora das brumas da Atlântida.

Paty disse...

Lindo poema ...

ótima Semana...

Gabriel S. da M. Machado disse...

Parabens pelo poema, é de muito bom gosto!!!