22/07/11




P O V O A M E N T O

No teu amor por mim há uma rua que começa
Nem árvores nem casas existiam
antes que tu tivesses palavras
e todo eu fosse um coração para elas
Invento-te e o céu azula-se sobre esta
triste condição de ter de receber
dos choupos onde cantam
os impossíveis pássaros
a nova primavera
Tocam sinos e levantam voo
todos os cuidados
Ó meu amor nem minha mãe
tinha assim um regaço
como este dia tem
E eu chego e sento-me ao lado
da primavera

Ruy Belo in Aquele Grande Rio Eufrates

3 comentários:

。♥ Smareis ♥。 disse...

Passei pra conhecer seu blog, e gostei muito dos versos.Seu poema é profundo e tem muita sensibilidade. Gostei muito do seu blog e estarei te seguindo pra voltar mais vezes. Convido a conhecer o meu blog e seguir-me também. Deixo um abraço !

Mar Arável disse...

Bela memória

Carlos Ramos disse...

Exibo orgulhosamente uma T Shirt com a primeira frase deste poema, deste poeta que tanto me comove.
Obrigado Astra